Pages

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Cristo, Salmos e você - SALMO 2

Eu, porém, constituí o meu Rei sobre o meu santo monte Sião” (Sl.2.6)

Quando a vida ao nosso redor parece estar fora de controle, nada é mais confortador do que lembrar que nosso Senhor e Salvador Jesus é, também, o Rei de toda a Terra. Contudo, o mundo não quer estar debaixo do governo absoluto de Deus, e, por isso, está democratizando e relativizando tudo. O mundo quer ser livre de seu Criador; quer governar a própria vida; quer criar as próprias leis; quer viver segundo a própria vontade, por isso resiste e luta contra tudo que representa o Reino de Cristo (Lc.19.14).
João Batista não foi o primeiro a anunciar a chegada do Reino de Deus (Mt.3.2). O Salmo 2 profetiza a encarnação do Filho de Deus e proclama a glória de seu Reinado absoluto sobre todas as nações. Cristo é Rei não somente da igreja nem é Senhor apenas de nossa vida privada nem quer ser adorado apenas nos domingos à noite. O Salmo 2 revela-nos que Deus exige submissão e fidelidade completa de todas as nações em todo tempo, pois Jesus foi constituído Rei sobre todos os povos.
Mesmo reinando de forma absoluta, o reinado de Cristo é adornado de graça e amor, pois ainda que reine para a glória do Pai, Jesus vive para interceder pelo seu povo que tanto ama (Hb.7.25). Para aqueles que tem alegria em Jesus, seu governo, suas leis, suas promessas e até mesmo sua disciplina são considerados como bênçãos graciosas para o bem-estar do povo de Deus. Mas, para o mundo rebelde, até mesmo o gesto mais singelo e gracioso  do Senhor, como o convite a receber a salvação por meio da fé em Cristo Jesus, será sempre considerado como ameaça à liberdade do coração pecador.
Contudo, o governo de Cristo não depende de quem quer (Rm.9.16). O Senhor Jesus domina sobre justos e injustos e “tudo faz como lhe agrada” (Sl.115.3). Seu Reino eterno se manifesta no controle total sobre tudo; na providência dispensada sobre toda a criação; nas promessas graciosas e infalíveis; nos castigos providenciados para correção de seus filhos; nos juízos derramados sobre os ímpios; na vitória sobre o império das trevas, retirando da escuridão os que são tocados pelo Espírito do Senhor. A igreja não é o limite do Reino de Cristo, mas sua atuação manifesta a glória e dinâmica do Reino universal do Senhor Jesus.
Você deve se alegrar em saber que Cristo reina sobre nós. Seu reinado é justo e bom, pois tanto julga os rebeldes com justiça quanto demostra amor para com todos os que se sentem peregrinos neste mundo pecador, concedendo salvação e vida eterna para todos os que buscam refugio em sua graça superabundante (Rm.5.20). Portanto, o caminho para o progresso da sociedade não se encontra na libertinagem do homem, mas na obediência aos mandamentos de Deus, pois aquele que tudo criou para sua glória é poderoso para recompensar todos os que o amam.

Saber que Jesus reina absolutamente sobre todas as coisas deve trazer paz ao coração do cristão, pois significa que Cristo tem tudo sobre controle e que todas as coisas, boas ou ruins, devem ser consideradas como expressão de sua vontade que atua com perfeição sobre a criação, a fim de manifestar sua bondade, justiça e santidade. Como súditos, devemos buscar compreender a vontade de nosso Reino eterno, confiando que basta-nos buscar “o seu Reino e a sua justiça, e todas as coisas” serão acrescentadas graciosamente sobre nós (Mt.6.33).

Nenhum comentário:

Postar um comentário