Pages

sábado, 11 de março de 2017

Uma jornada adornada de graça

Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gn.12.3)

Bem-aventurado foi Abraão! No entanto, a bem-aventurança do patriarca não adveio por causa de sua justiça. A graça do Senhor superabundou sobre a vida dele de tal modo que Deus o tirou do meio de uma cidade pagã idólatra, onde sua família servia outros deuses (Js.24.2), para o guardar, separar e tornar pai da nação mãe do Salvador (Israel). Num misto de alegria e admiração, Abraão deve ter se perguntado muitas vezes: - Quem sou eu, para que o Senhor de toda glória demonstre tamanha graça e amor, tanta misericórdia e poder? (2Sm.7.18) Nada! Era a única resposta possível. Mas, em sua pequenez, Deus mostrou a grandeza de sua graça e glória.
Abraão, então, lançou-se nas mãos do Senhor, entregando-se completamente para ser guiado por sua Palavra e sustentado por sua poderosa mão. Abraão creu em cada Palavra proferida por Deus, por mais impossível que parecesse para os homens (Gn.15.6). Com os olhos fitos nas promessas do Senhor, Abraão percorreu estradas desconhecidas e enfrentou desafios intransponíveis. Em cada passo do patriarca havia esperança e paciência, pois sabia que Deus é fiel para cumprir sua Palavra. Por sua confiança nas promessas, Deus o fez pai da fé e nele multidões incontáveis são abençoadas pelo sacrifício vicário do Senhor e Salvador, o Filho de Deus, o Cordeiro Santo que tira o pecado do mundo (Gn.12.3; Gl.3.16). Agora, confie você, também, nas promessas de Jesus!
Durante a jornada de Abraão, Deus o cercou com graça sobre medida. O Senhor o tirou do meio de um mundo pagão (Gn.12.1); protegeu sua família, cuidando de sua esposa (Gn.12.17) e descendência (Gn.17.7); Reservou-lhe o melhor, mesmo quando a escolha estava nas mãos de outra pessoa (Gn.13.11-12); prometeu-lhe boa terra para ele e sua descendência (Gn.13.15); lutou por ele em cada batalha, dando-lhe a vitória em suas mãos (Gn.14.16-17,20); enviou-lhe o sumo sacerdote Melquisedeque para o abençoar (Gn.14.19); prometeu-lhe um filho e o deu, mesmo sendo Sara estéril (Gn.15.5; 21.1-2); compartilhou seus planos com Abraão e ouviu a intercessão do patriarca em favor dos justos (Gn.18.17-19, 22-32); preparou um mulher prudente para ser a esposa de seu filho Isaque (Gn.24.27), confirmando, desse modo, sua aliança com a descendência de Abraão.
Deus tinha um grandioso propósito para a vida de Abraão que iria muito além de bênçãos presentes. Deus o havia escolhido, a fim de ser instrumento para abençoar muitas vidas. Portanto, a fidelidade do patriarca não somente o tornou agradável a Deus, como, também, foi importante na execução do projeto redentor (Gn.22.15-18). Desta forma, Abraão não somente foi muitíssimo abençoado por Deus, mas abençoou muitas vidas que nem mesmo conheceu, pois de sua genealogia veio o Redentor de toda a terra (Mt.1.2-16). Sua confiança no Senhor trouxe-lhe benefícios, pois Deus o cercou de bênçãos, e exorta todas as gerações a confiarem no Senhor, mesmo quando as promessas de Deus parecem-lhes impossíveis.
De forma semelhante, Deus nos chamou tanto para nos abençoar com sua graciosa comunhão e salvação como, também, para sermos instrumentos de bênção em suas mãos, levando a Mensagem que é poderosa para salvar. A jornada da fé não é fácil, pois o percurso é repleto de obstáculos e inimigos, altos e baixos, pântanos e desertos. Todavia, Deus nos adorna com graça durante toda a viagem, cuidando de cada filho seu como um pastor cuida de suas ovelhas. Quando doentes, Ele nos carrega em seus ombros; quando fracos, Ele nos alimenta com a Palavra; quando sedentos, Ele nos conduz para mananciais de águas vivas; quando atacados, ele nos consola com sua vara e seu cajado (Sl.23.4). Assim, somos guiados pela longa estrada rumo à Cidade de Deus, onde Cristo nos aguarda.
O que devemos fazer, então? Confiar no amor do Senhor, demonstrado na cruz do Calvário, onde Jesus entregou sua vida para salvar pecadores como eu e você. Entregue-se completamente ao Senhor! Não tenha reservas nem deixe que dúvidas pairem em seu coração. Lance sobre Ele a vida e siga os passos do Senhor que vai a nossa frente para nos guiar com Sua Santa Palavra pelo caminho em que devemos andar. Quando a caminhada estiver muito difícil e o caminho for pedregoso demais, então busque auxílio e refúgio em Cristo. Ele pode tomar-te sobre os ombros, a fim de carregar-te pela estrada difícil, pois o Senhor jamais deixa para trás um filho seu, assim como um pastor não abandona nem mesmo uma de suas ovelhas (Mt.18.12-14). A jornada é longa e difícil, mas, também, está adornada com a imensa graça do Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário