Pages

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Reformando a família

"Jesus, porém, fitando neles o olhar, disse: Para os homens é impossível; contudo, não para Deus, porque para Deus tudo é possível." (Mc.10.27)

Para que uma igreja local seja forte, saudável e atuante é preciso que seus membros estejam fortes, saudáveis e sejam atuantes, afinal não é a beleza nem a formosura de uma "casa de oração" que dará vida à igreja do Senhor Jesus. Para que um corpo seja sadio, faz-se necessário que todos os membros e órgãos desse corpo estejam sãos. Semelhantemente, famílias sadias espiritualmente formam uma igreja local salubre.
Portanto, é necessário que se invista tempo e suor na educação de cada jovem, ensinando a construir família de forma santa e agradável a Deus, ajudando a juventude a edificar o lar sobre a Rocha: Cristo Jesus. Ao darem a devida atenção aos ensinos da Palavra de Deus e conselhos bíblicos dos mais velhos sobre a família, os jovens estarão garantindo o sucesso do casamento "até que a morte separe" seus cônjuges.
Mas, como tratar as famílias que chegam à igreja, já marcadas pela dor, sofrimento, amargura, desgaste, desânimo, resistindo ao tempo, esperando o dia em que tudo irá desmoronar? Não são mais jovens apaixonados, sonhando com toda uma vida amorosa pela frente. São famílias desiludidas, com feridas profundas, grandes cicatrizes, arraigadas em conceitos mundanos que aprenderam e viveram durante anos.
Construir uma casa, tendo tão somente o terreno como ponto de partida, é muito mais fácil e tranquilo que reformar uma casa antiga, com problemas. Para reformar uma casa, será necessário "desconstruir" muito do que está erguido para que depois se possa reconstruir algo novo, firme e durável. E quanto mais se mexe na casa velha, mais problemas são descobertos. Derruba-se uma parede velha e aparecem rachaduras no teto, no piso e em outras paredes ao redor. Troca-se um cano e logo outras partes começam a apresentar vazamento. No final da reforma, a casa quase toda foi posta abaixo, gastando-se mais tempo e dinheiro do que se teria gasto para construir uma casa nova.
Não é tão diferente com respeito às antigas famílias que se aproximam do Senhor. O trabalho de reeducação na Palavra de Deus requer tempo e suor dos envolvidos e plena dependência da manifestação do poder de Deus, através da Palavra e do agir do Espírito Santo. Neste caso, não se deve entender por envolvidos apenas os membros da família: esposo, esposa e filhos. Por envolvidos deve-se compreender: os participantes da família, a liderança da igreja e os próprios membros da comunidade eclesiástica local. A conversão e transformação de um lar não é um "mero problema de família". Tal projeto pertence ao Reino de Deus e depende completamente do poder do Senhor. Por isso, toda a igreja deve ter seus olhos atentos para o problema, "lutando o bom combate do Senhor" através da oração, pregação da Palavra e testemunho fiel àqueles que carecem da graça de Deus e de modelo para seguir.
Enquanto a igreja cumpre seu papel descrito acima, o que você, membro de uma família com problemas chamados de pecados, deve fazer?
Em Marcos 10.27, Jesus afirma a onipotência de Deus diante da impossibilidade humana de se salvar. No diálogo com o jovem rico, Jesus mostrou o quanto esse estava tomado pelo apego aos bens materiais e ao muito dinheiro que possuía. A riqueza lhe trazia conforto no dia a dia, superioridade sobre os demais homens de classe social inferior, e aparente segurança ao construir casas fortificadas e ter guardas ao seu dispor. O jovem rico confiava em suas riquezas e por isso Jesus afirma: "Filhos, quão difícil é para os que confiam nas riquezas entrar no reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus" (Mc.10.24).
Há uma semelhança entre você o jovem rico. Não se trata da quantidade de dinheiro, pois o problema não está na riqueza, mas no coração carnal que se entrega a ela. Quão difícil é, ao pecador, deixar os pecados em que seu coração está arraigado. Os sofrimentos que passou no casamento; as mágoas que guardou; as palavras duras que ouviu; os sonhos que foram frustrados. O coração esta cheio de rancores e pesares, impossibilitando o pecador de perdoar e abandonar toda velha vida. Jesus diria para você: "deixa tudo e me segue" (Lc.18.22). Mas, seu coração está tão preso ao passado e tão mergulhado no pecado que você abaixa a cabeça e vai embora (Mc.10.22). Por ser impossível ao homem salvar seu próprio coração, Cristo "se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai" (Gl.1.4).
"Para Deus tudo é possível" (Mt.19.26). Enquanto a igreja ora incessantemente (1Ts.5.17) por sua família e a liderança ensina a Palavra de Deus com fidelidade, você deve se entregar ao Senhor, confiando plenamente em Suas Palavras e em Seu poder. Como alguém que não tem mais forças para lutar, entregue-se à vontade do Senhor, pois o Reino de Deus é "justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo" (Rm.14.17). Não há impossíveis para o Senhor. Não há coração tão duro que o Espírito de Deus não possa quebrantar, nem tão ímpio que o Senhor não possa transformar. A reação mais sábia de um pecador diante dos problemas é entregar sua vida a Cristo, crendo em Seu amor e poder.
Quando se trata de pecado, terapias não curam as feridas do povo (Jr.6.14; 8.11). Não basta participar de um ambiente religioso, é preciso nova vida e esta somente o Espírito de Deus pode dar. Quanto mais você tenta "reformar" o lar, mais problemas são encontrados em sua estrutura. Deus não precisa de sua ajuda; ele quer sua confiança, descansando e esperando nEle (Sl.37.7). Deus quer sua obediência completa, crendo que "a lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices; os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos" (Sl.19.7,8). Entregue sua família ao Senhor, e Ele, como perfeito arquiteto, dará a ela uma nova e permanente vida em Cristo.

Um comentário: