Pages

terça-feira, 15 de março de 2011

A Mensagem que Transforma o Pecador


“pela palavra da verdade do evangelho, que chegou até vós; como também, em todo o mundo, está produzindo fruto e crescendo, tal acontece entre vós, desde o dia em que ouvistes e entendestes a graça de Deus na verdade” (Cl.1.5-6)

Jesus passou três anos anunciando o arrependimento e “ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino” (Mt.4.23). Era o próprio Filho de Deus falando de Seu Reino e do juízo final que Ele mesmo traria. No entanto, Seu ministério se assemelhou ao dos profetas do Antigo Testamento. As multidões o seguiam, mas não criam em Sua Palavra e pouquíssimos o receberam “para se cumprir a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor?.” (Jo.12.37-40 // Is.53.1; 6.10)

Multidões seguiram Jesus, não por causa da mensagem, mas apenas pelo alimento multiplicado, e vendo isto “Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: vós me procurais, não porque vistes sinais, mas porque comestes dos pães e vos fartastes” (Jo.6.26). Mais tarde, a mesma multidão que o seguia também o crucificou. O coração deles estava endurecido, e não perceberam “que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo” (At.2.36). Tenha cuidado também para não estar buscando a Deus por causa das coisas que Ele pode fazer, pois quando Jesus voltar Ele mesmo dirá: “Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mt.25.41).

Ao ressuscitar, Jesus abre a porta do Reino para receber todos os que crêem no evangelho. Começa, então, a jornada dos apóstolos, que recebem a missão de pregar o evangelho do Reino sendo “testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (At.1.8).

Logo que Paulo teve um encontro com Cristo, tendo nEle também crido, começou a pregar o evangelho do Reino. Ele viajou o mundo da época pregando a mensagem da cruz, poder de Deus para salvação (1 Co.1.18) de todo o que crer. Durante o ministério, Paulo teve diversos colaboradores que o auxiliavam: Acaico (I Co.16.17), Apolo (Tt 3:13), Áquila (Rm 16:3); Aristarco (Cl 4:10), Arquipo (Cl 4:17), Ártemas (Tt.3.12), Barnabé (Gl 2:1), Demas (2 Tm 4:10), Epafras (Fm 1:23); Erasto (Rm 16:23), Estéfanas (1 Co 16:17), Fortunato (I Co.16.17), Gaio (Rm 16:23), Jasom (Rm 16:21), Lucas (Cl 4:14), Lúcio (Rm 16:21), Marcos (Cl 4:10), Onesíforo (2 Tm 1:16), Priscila (1 Co 16:19), Silvano (2 Ts 1:1), Sosípatro (Rm.16.21), Sóstenes (1 Co 1:1), Tércio (Rm16.22), Timóteo (Rm 16:21), Tíquico (Ef 6:21), Trófimo (2 Tm 4:20), Zenas (Tt.3.13). Todos estes gastaram a vida servindo ao Senhor através da Pregação da Palavra, na certeza que por meio dela vidas seriam libertas, e os pecadores encontrariam a vida eterna.

Paulo dava grande importância a todos eles e reconhecia o valor do trabalho que executavam. Assim como Deus “coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha, para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros.” (I Co.12.24-25), o apóstolo também valorizava a todos, certo de que os: “membros do corpo que parecem ser mais fracos são necessários; e os que nos parecem menos dignos no corpo, a estes damos muito maior honra” (I Co.12.22,23). Foi um desses colaboradores de Paulo que organizou a igreja em Colossos: Epafras (Cl.1.7). Ele havia evangelizado a cidade, pregando a Palavra de Deus, e, pela fiel pregação da Palavra de Deus, uma igreja local surgiu. Epafras era fiel ministro de Cristo, dedicado na pregação e oração, e firme na realização da obra do Senhor (Cl.4.12), o que custou-lhe a própria liberdade posteriormente (Fm.1.23).

Os esforços desses homens de Deus foram bem sucedidos. Muitas igrejas foram organizadas no mundo antigo, através da Pregação da Palavra de Deus. E a igreja dos Colossenses era mais um fruto do poder da mensagem da cruz. A Palavra de Deus estava frutificando em todo o mundo da época, convertendo pecadores, espalhando o Reino de Deus pelos quatro cantos da Terra.

Não sei como está a tua vida, nem qual seu histórico familiar. Mas, temos a certeza de algo, pois Deus mesmo o disse: a Mensagem da cruz é “o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Rm.1.16). A Palavra de Deus é poderosa para converter o pior dos pecadores dando-lhe nova vida através do NOME de Jesus. A nova vida não vem de esforços humanos, mas da operação da Palavra no coração de um homem tocado pelo Espírito do Senhor. Não é preciso nem força, nem violência. Não depende de sabedoria humana nem da capacidade de se persuadir. Basta que a Palavra de Deus seja anunciada com fidelidade e que a graça de Deus alcance o coração pecador.

Além de converter o coração do pecador, fazendo-o reconhecer seus pecados e se arrepender deles, as Escrituras são poderosas para santificar o pecador arrependido. Os pecados que você não consegue vencer sozinho são vencidos em oração, na dependência do Espírito Santo, que através da Palavra de Deus irá transformar a tua vida e torná-la, pouco a pouco, à imagem e semelhança de Jesus. A Palavra de Deus te libertará da cada pecado, pois se “o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (Jo.8.36).

Deus nos deu Palavras de vida para que por ela alcançássemos a nova vida que Jesus tem para nos dar. Creia e confie no poder da Palavra de Deus, meditando dia e noite, enquanto o Espírito do Senhor prepara o teu coração para produzir os frutos de quem ama a Palavra de Deus. “Os impossíveis dos homens são possíveis para Deus” (Lc.18.27).

2 comentários:

  1. Olá Rev. Me junto a vc na oração para que a Palavra do Senhor, trnasmitida pelos mais diversos meios de mídia, possa alcaçar os corações sedentos. Que Deus continue a lhe usar. Amém.

    ResponderExcluir
  2. Querido Pastor Jetro,
    Agradeço as palavras de benção e rogo ao Senhor que continue abençoando sua vida e ministério também, a fim de que sejas sempre frutífero no Senhor. Abraços!

    ResponderExcluir